Marqui

Marqui

UMA BOA ESCOLHA!

Solução concentrada contendo 360 g/l ou 31% (p/p) de glifosato (sob a forma de sal de isopropilamónio).

CARACTERÍSTICAS 
O Marqui é um herbicida não selectivo de acção sistémica para o controlo de infestantes anuais e vivazes.
Permitido antes da instalação de culturas e em técnicas de sementeira directa.
Culturas: Vinha, Pomares (Amendoeira, Aveleira, Bananeira, Cerejeira, Citrinos, Damasqueiro, Macieira, Pereira, Pessegueiro, Oliveira), Marachas dos Arrozais, Pousios, Renovação de Pastagens, antes da instalação de culturas e em técnicas de sementeira directa.

Nº de AV/APV 0061

EMBALAGENS 200 mL / 1 L / 5 L / 20 L

Ficha Técnica

Ficha de Dados de Segurança

Culturas relacionadas

  • Infestantes Aquáticas

    CONCENTRAÇÃO/DOSE E APLICAÇÃO 

    Jacinto aquático (Eichornia crassipes) – 6-8 L/ha; Grama (Cynodon dactylon) – 6-8 L/ha; Junça (Cyperus rotundus) – 8-10 L/ha; Juncinha (Cyperus esculentus) – 8-10 L/ha; Tabua-larga (Thypha latifolia) – 8-10 L/ha; Rabo-de-raposa (Orobanche spp.) – 0.130 L/ha.

    O aparecimento da junça e da juncinha verifica-se durante um longo período, por isso, convém fazer duas aplicações: na 1ª utilizar 6 L/ha e na 2ª utilizar 3 L/ha de produto.

    Nas infestantes aquáticas obtém-se melhores resultados com aplicações em Junho-Julho.

    INTERVALO DE SEGURANÇA 

    28 dias

  • Infestantes das Marachas dos Arrozais

    CONCENTRAÇÃO/DOSE E APLICAÇÃO 

    ANUAIS – 2-4 L/ha
    Controlar as infestantes anuais nas primeiras fases de desenvolvimento. Antes da instalação de culturas e em técnicas de sementeira direita, mas sempre antes da emergência da cultura, para o controlo de infestantes anuais nas primeiras fases de desenvolvimento, também podem ser usadas as doses de 0,75 L a 1,5 L/ha de produto.

    VIVAZES – Controlar as infestantes vivazes até à floração
    Erva pata (Oxalis pes-caprae) – 4-5 L/ha; Escalracho (Panicum repens) – 4-7 L/ha; Graminhão (Paspalum paspalodes) – 5-8 L/ha; Urtigas (Urtica spp.) – 5-8 L/há; Corriola (Convolvulus arvensis) – 5-8 L/há; Silvas (Rubus spp.) – 5-8 L/há; Feto (Pteridium aquilinum) – 6-8 L/ha; Jacinto aquático (Eichornia crassipes) – 6-8 L/ha; Acácias (Acacia spp.) – 6-8 L/ha; Grama (Cynodon dactylon) – 6-8 L/ha; Junça (Cyperus rotundus) – 8-10 L/ha; Juncinha
    (Cyperus esculentus) – 8-10 L/ha; Tabua-larga (Thypha latifolia) – 8-10 L/ha; Rabo-de-raposa (Orobanche spp.) – 0.130 L/ha.

    Nas marachas dos arrozais aplicar após a colheita do arroz, enquanto as infestantes estiverem verdes ou durante o ciclo de cultura em aplicações localizadas (com campânula).

     

     

  • Amendoeira

    Infestantes Anuais e/ou Vivazes da Amendoeira

    CONCENTRAÇÃO/DOSE E APLICAÇÃO

    ANUAIS – 2-4 L/ha
    Controlar as infestantes anuais nas primeiras fases de desenvolvimento. Antes da instalação de culturas e em técnicas de sementeira direita, mas sempre antes da emergência da cultura, para o controlo de infestantes anuais nas primeiras fases de desenvolvimento, também podem ser usadas as doses de 0,75 L a 1,5 L/ha de produto.

    VIVAZES – Controlar as infestantes vivazes até à floração
    Erva pata (Oxalis pes-caprae) – 4-5 L/ha; Escalracho (Panicum repens) – 4-7 L/ha; Graminhão (Paspalum paspalodes) – 5-8 L/ha; Urtigas (Urtica spp.) – 5-8 L/há; Corriola (Convolvulus arvensis) – 5-8 L/há; Silvas (Rubus spp.) – 5-8 L/há; Feto (Pteridium aquilinum) – 6-8 L/ha; Jacinto aquático (Eichornia crassipes) – 6-8 L/ha; Acácias (Acacia spp.) – 6-8 L/ha; Grama (Cynodon dactylon) – 6-8 L/ha; Junça – (Cyperus rotundus) – 8-10 L/ha; Juncinha
    (Cyperus esculentus) – 8-10 L/ha; Tabua-larga (Thypha latifolia) – 8-10 L/ha; Rabo-de-raposa (Orobanche spp.) – 0.130 L/ha.

    INTERVALO DE SEGURANÇA

    7 dias

  • Aveleira

    Infestantes Anuais e/ou Vivazes da Aveleira

    CONCENTRAÇÃO/DOSE E APLICAÇÃO 

    ANUAIS – 2-4 L/ha
    Controlar as infestantes anuais nas primeiras fases de desenvolvimento. Antes da instalação de culturas e em técnicas de sementeira direita, mas sempre antes da emergência da cultura, para o controlo de infestantes anuais nas primeiras fases de desenvolvimento, também podem ser usadas as doses de 0,75 L a 1,5 L/ha de produto.

    VIVAZES – Controlar as infestantes vivazes até à floração
    Erva pata (Oxalis pes-caprae) – 4-5 L/ha; Escalracho (Panicum repens) – 4-7 L/ha; Graminhão (Paspalum paspalodes) – 5-8 L/ha; Urtigas (Urtica spp.) – 5-8 L/há; Corriola (Convolvulus arvensis) – 5-8 L/há; Silvas (Rubus spp.) – 5-8 L/há; Feto (Pteridium aquilinum) – 6-8 L/ha; Jacinto aquático (Eichornia crassipes) – 6-8 L/ha; Acácias (Acacia spp.) – 6-8 L/ha; Grama (Cynodon dactylon) – 6-8 L/ha; Junça (Cyperus rotundus) – 8-10 L/ha; Juncinha
    (Cyperus esculentus) – 8-10 L/ha; Tabua-larga (Thypha latifolia) – 8-10 L/ha; Rabo-de-raposa (Orobanche spp.) – 0.130 L/ha.

    O aparecimento da junça e da juncinha verifica-se durante um longo período, por isso, convém fazer duas aplicações: na 1ª utilizar 6 L/ha e na 2ª, 3 L/ha de produto.

    INTERVALO DE SEGURANÇA 

    7 dias

  • Bananeira

    Infestantes Anuais e/ou Vivazes da Bananeira

    CONCENTRAÇÃO/DOSE E APLICAÇÃO 

    ANUAIS – 2-4 L/ha
    Controlar as infestantes anuais nas primeiras fases de desenvolvimento. Antes da instalação de culturas e em técnicas de sementeira direita, mas sempre antes da emergência da cultura, para o controlo de infestantes anuais nas primeiras fases de desenvolvimento, também podem ser usadas as doses de 0,75 L a 1,5 L/ha de produto.

    VIVAZES – Controlar as infestantes vivazes até à floração
    Erva pata (Oxalis pes-caprae) – 4-5 L/ha; Escalracho (Panicum repens) – 4-7 L/ha; Graminhão (Paspalum paspalodes) – 5-8 L/ha; Urtigas (Urtica spp.) – 5-8 L/há; Corriola (Convolvulus arvensis) – 5-8 L/há; Silvas (Rubus spp.) – 5-8 L/há; Feto (Pteridium aquilinum) – 6-8 L/ha; Jacinto aquático (Eichornia crassipes) – 6-8 L/ha; Acácias (Acacia spp.) – 6-8 L/ha; Grama (Cynodon dactylon) – 6-8 L/ha; Junça (Cyperus rotundus) – 8-10 L/ha; Juncinha
    (Cyperus esculentus) – 8-10 L/ha; Tabua-larga (Thypha latifolia) – 8-10 L/ha; Rabo-de-raposa (Orobanche spp.) – 0.130 L/ha.

    O aparecimento da junça e da juncinha verifica-se durante um longo período, por isso, convém fazer duas aplicações: na 1ª utilizar 6 L/ha e na 2ª, 3 L/ha de produto.

    INTERVALO DE SEGURANÇA 

    28 dias

  • Cerejeira

    Infestantes Anuais e/ou Vivazes da Cerejeira

    CONCENTRAÇÃO/DOSE E APLICAÇÃO 

    ANUAIS – 2-4 L/ha
    Controlar as infestantes anuais nas primeiras fases de desenvolvimento. Antes da instalação de culturas e em técnicas de sementeira direita, mas sempre antes da emergência da cultura, para o controlo de infestantes anuais nas primeiras fases de desenvolvimento, também podem ser usadas as doses de 0,75 L a 1,5 L/ha de produto.

    VIVAZES – Controlar as infestantes vivazes até à floração
    Erva pata (Oxalis pes-caprae) – 4-5 L/ha; Escalracho (Panicum repens) – 4-7 L/ha; Graminhão (Paspalum paspalodes) – 5-8 L/ha; Urtigas (Urtica spp.) – 5-8 L/há; Corriola (Convolvulus arvensis) – 5-8 L/há; Silvas (Rubus spp.) – 5-8 L/há; Feto (Pteridium aquilinum) – 6-8 L/ha; Jacinto aquático (Eichornia crassipes) – 6-8 L/ha; Acácias (Acacia spp.) – 6-8 L/ha; Grama (Cynodon dactylon) – 6-8 L/ha; Junça (Cyperus rotundus) – 8-10 L/ha; Juncinha
    (Cyperus esculentus) – 8-10 L/ha; Tabua-larga (Thypha latifolia) – 8-10 L/ha; Rabo-de-raposa (Orobanche spp.) – 0.130 L/ha.

    O aparecimento da junça e da juncinha verifica-se durante um longo período, por isso, convém fazer duas aplicações: na 1ª utilizar 6 L/ha e na 2ª, 3 L/ha de produto.

    INTERVALO DE SEGURANÇA 

    28 dias

  • Citrinos

    Infestantes Anuais e/ou Vivazes dos Citrinos

    CONCENTRAÇÃO/DOSE E APLICAÇÃO 

    ANUAIS – 2-4 L/ha
    Controlar as infestantes anuais nas primeiras fases de desenvolvimento. Antes da instalação de culturas e em técnicas de sementeira direita, mas sempre antes da emergência da cultura, para o controlo de infestantes anuais nas primeiras fases de desenvolvimento, também podem ser usadas as doses de 0,75 L a 1,5 L/ha de produto.

    VIVAZES – Controlar as infestantes vivazes até à floração
    Erva pata (Oxalis pes-caprae) – 4-5 L/ha; Escalracho (Panicum repens) – 4-7 L/ha; Graminhão (Paspalum paspalodes) – 5-8 L/ha; Urtigas (Urtica spp.) – 5-8 L/há; Corriola (Convolvulus arvensis) – 5-8 L/há; Silvas (Rubus spp.) – 5-8 L/há; Feto (Pteridium aquilinum) – 6-8 L/ha; Jacinto aquático (Eichornia crassipes) – 6-8 L/ha; Acácias (Acacia spp.) – 6-8 L/ha; Grama (Cynodon dactylon) – 6-8 L/ha; Junça (Cyperus rotundus) – 8-10 L/ha; Juncinha
    (Cyperus esculentus) – 8-10 L/ha; Tabua-larga (Thypha latifolia) – 8-10 L/ha; Rabo-de-raposa (Orobanche spp.) – 0.130 L/ha.

    O aparecimento da junça e da juncinha verifica-se durante um longo período, por isso, convém fazer duas aplicações: na 1ª utilizar 6 L/ha e na 2ª, 3 L/ha de produto.

    INTERVALO DE SEGURANÇA 

    28 dias

  • Damasqueiro

    Infestantes Anuais e/ou Vivazes do Damasqueiro

    CONCENTRAÇÃO/DOSE E APLICAÇÃO 

    ANUAIS – 2-4 L/ha
    Controlar as infestantes anuais nas primeiras fases de desenvolvimento. Antes da instalação de culturas e em técnicas de sementeira direita, mas sempre antes da emergência da cultura, para o controlo de infestantes anuais nas primeiras fases de desenvolvimento, também podem ser usadas as doses de 0,75 L a 1,5 L/ha de produto.

    VIVAZES – Controlar as infestantes vivazes até à floração
    Erva pata (Oxalis pes-caprae) – 4-5 L/ha; Escalracho (Panicum repens) – 4-7 L/ha; Graminhão (Paspalum paspalodes) – 5-8 L/ha; Urtigas (Urtica spp.) – 5-8 L/há; Corriola (Convolvulus arvensis) – 5-8 L/há; Silvas (Rubus spp.) – 5-8 L/há; Feto (Pteridium aquilinum) – 6-8 L/ha; Jacinto aquático (Eichornia crassipes) – 6-8 L/ha; Acácias (Acacia spp.) – 6-8 L/ha; Grama (Cynodon dactylon) – 6-8 L/ha; Junça (Cyperus rotundus) – 8-10 L/ha; Juncinha
    (Cyperus esculentus) – 8-10 L/ha; Tabua-larga (Thypha latifolia) – 8-10 L/ha; Rabo-de-raposa (Orobanche spp.) – 0.130 L/ha.

    O aparecimento da junça e da juncinha verifica-se durante um longo período, por isso, convém fazer duas aplicações: na 1ª utilizar 6 L/ha e na 2ª, 3 L/ha de produto.

    INTERVALO DE SEGURANÇA 

    28 dias

  • Faveira

    Rabo de Raposa da Faveira

    CONCENTRAÇÃO/DOSE E APLICAÇÃO 

    Rabo-de-raposa (Orobanche spp.): 0.130 L/ha. – As aplicações em favais contra o rabo-de-raposa devem ser efectuadas quando, nas raízes das faveiras, se notarem os primeiros “tubérculos” ou “gomos” de desenvolvimento subterrâneo daquela planta parasita. Deve-se observar as raízes das faveiras (amostras colhidas 2 vezes por semana) a partir da floração. Repetir a aplicação 15 dias depois.

    INTERVALO DE SEGURANÇA 

    21 dias

  • Macieira

    Infestantes Anuais e/ou Vivazes da Macieira

    CONCENTRAÇÃO/DOSE E APLICAÇÃO

    ANUAIS: 2-4 L/ha – Controlar as infestantes anuais nas primeiras fases de desenvolvimento. Antes da instalação de culturas e em técnicas de sementeira direita, mas sempre antes da emergência da cultura, para o controlo de infestantes anuais nas primeiras fases de desenvolvimento, também podem ser usadas as doses de 0,75 L a 1,5 L/ha de produto.

    VIVAZES: Controlar as infestantes vivazes até à floração
    Erva pata (Oxalis pes-caprae) – 4-5 L/ha; Escalracho (Panicum repens) – 4-7 L/ha; Graminhão (Paspalum paspalodes) – 5-8 L/ha; Urtigas (Urtica spp.) – 5-8 L/há; Corriola (Convolvulus arvensis) – 5-8 L/há; Silvas (Rubus spp.) – 5-8 L/ha; Feto (Pteridium aquilinum) – 6-8 L/ha; Jacinto aquático (Eichornia crassipes) – 6-8 L/ha; Acácias (Acacia spp.) – 6-8 L/ha; Grama (Cynodon dactylon) – 6-8 L/ha; Junça (Cyperus rotundus) – 8-10 L/ha; Juncinha (Cyperus esculentus) – 8-10 L/ha O aparecimento da junça e da juncinha verifica-se durante um longo período, por isso, convém fazer duas aplicações: na 1ª utilizar 6 L/ha e na 2ª, 3 L/ha de produto.

    INTERVALO DE SEGURANÇA

    28 dias

  • Oliveira

    Infestantes Anuais e/ou Vivazes da Oliveira

    CONCENTRAÇÃO/DOSE E APLICAÇÃO 

    ANUAIS – 2-4 L/ha
    Controlar as infestantes anuais nas primeiras fases de desenvolvimento. Antes da instalação de culturas e em técnicas de sementeira direita, mas sempre antes da emergência da cultura, para o controlo de infestantes anuais nas primeiras fases de desenvolvimento, também podem ser usadas as doses de 0,75 L a 1,5 L/ha de produto.

    VIVAZES – Controlar as infestantes vivazes até à floração
    Erva pata (Oxalis pes-caprae) – 4-5 L/ha; Escalracho (Panicum repens) – 4-7 L/ha; Graminhão (Paspalum paspalodes) – 5-8 L/ha; Urtigas (Urtica spp.) – 5-8 L/há; Corriola (Convolvulus arvensis) – 5-8 L/há; Silvas (Rubus spp.) – 5-8 L/há; Feto (Pteridium aquilinum) – 6-8 L/ha; Jacinto aquático (Eichornia crassipes) – 6-8 L/ha; Acácias (Acacia spp.) – 6-8 L/ha; Grama (Cynodon dactylon) – 6-8 L/ha; Junça (Cyperus rotundus) – 8-10 L/ha; Juncinha
    (Cyperus esculentus) – 8-10 L/ha; Tabua-larga (Thypha latifolia) – 8-10 L/ha; Rabo-de-raposa (Orobanche spp.) – 0.130 L/ha.

  • Pereira

    Infestantes Anuais e/ou Vivazes da Pereira

    CONCENTRAÇÃO/DOSE E APLICAÇÃO

    ANUAIS: 2-4 L/ha – Controlar as infestantes anuais nas primeiras fases de desenvolvimento. Antes da instalação de culturas e em técnicas de sementeira direita, mas sempre antes da emergência da cultura, para o controlo de infestantes anuais nas primeiras fases de desenvolvimento, também podem ser usadas as doses de 0,75 L a 1,5 L/ha de produto.

    VIVAZES: Controlar as infestantes vivazes até à floração
    Erva pata (Oxalis pes-caprae) – 4-5 L/ha; Escalracho (Panicum repens) – 4-7 L/ha; Graminhão (Paspalum paspalodes) – 5-8 L/ha; Urtigas (Urtica spp.) – 5-8 L/há; Corriola (Convolvulus arvensis) – 5-8 L/há; Silvas (Rubus spp.) – 5-8 L/ha; Feto (Pteridium aquilinum) – 6-8 L/ha; Jacinto aquático (Eichornia crassipes) – 6-8 L/ha; Acácias (Acacia spp.) – 6-8 L/ha; Grama (Cynodon dactylon) – 6-8 L/ha; Junça (Cyperus rotundus) – 8-10 L/ha; Juncinha (Cyperus esculentus) – 8-10 L/ha O aparecimento da junça e da juncinha verifica-se durante um longo período, por isso, convém fazer duas aplicações: na 1ª utilizar 6 L/ha e na 2ª, 3 L/ha de produto.

    INTERVALO DE SEGURANÇA

    28 dias

  • Pessegueiro

    Infestantes Anuais e/ou Vivazes do Pessegueiro

    CONCENTRAÇÃO/DOSE E APLICAÇÃO 

    ANUAIS – 2-4 L/ha
    Controlar as infestantes anuais nas primeiras fases de desenvolvimento. Antes da instalação de culturas e em técnicas de sementeira direita, mas sempre antes da emergência da cultura, para o controlo de infestantes anuais nas primeiras fases de desenvolvimento, também podem ser usadas as doses de 0,75 L a 1,5 L/ha de produto.

    VIVAZES – Controlar as infestantes vivazes até à floração
    Erva pata (Oxalis pes-caprae) – 4-5 L/ha; Escalracho (Panicum repens) – 4-7 L/ha; Graminhão (Paspalum paspalodes) – 5-8 L/ha; Urtigas (Urtica spp.) – 5-8 L/há; Corriola (Convolvulus arvensis) – 5-8 L/há; Silvas (Rubus spp.) – 5-8 L/há; Feto (Pteridium aquilinum) – 6-8 L/ha; Jacinto aquático (Eichornia crassipes) – 6-8 L/ha; Acácias (Acacia spp.) – 6-8 L/ha; Grama (Cynodon dactylon) – 6-8 L/ha; Junça (Cyperus rotundus) – 8-10 L/ha; Juncinha
    (Cyperus esculentus) – 8-10 L/ha; Tabua-larga (Thypha latifolia) – 8-10 L/ha; Rabo-de-raposa (Orobanche spp.) – 0.130 L/ha.

    INTERVALO DE SEGURANÇA

    28 dias

  • Pousios

    Infestantes dos Pousios

    CONCENTRAÇÃO/DOSE E APLICAÇÃO 

    ANUAIS – 2-4 L/ha
    Controlar as infestantes anuais nas primeiras fases de desenvolvimento. Antes da instalação de culturas e em técnicas de sementeira direita, mas sempre antes da emergência da cultura, para o controlo de infestantes anuais nas primeiras fases de desenvolvimento, também podem ser usadas as doses de 0,75 L a 1,5 L/ha de produto.

    VIVAZES – Controlar as infestantes vivazes até à floração
    Erva pata (Oxalis pes-caprae) – 4-5 L/ha; Escalracho (Panicum repens) – 4-7 L/ha; Graminhão (Paspalum paspalodes) – 5-8 L/ha; Urtigas (Urtica spp.) – 5-8 L/há; Corriola (Convolvulus arvensis) – 5-8 L/há; Silvas (Rubus spp.) – 5-8 L/há; Feto (Pteridium aquilinum) – 6-8 L/ha; Jacinto aquático (Eichornia crassipes) – 6-8 L/ha; Acácias (Acacia spp.) – 6-8 L/ha; Grama (Cynodon dactylon) – 6-8 L/ha; Junça (Cyperus rotundus) – 8-10 L/ha; Juncinha
    (Cyperus esculentus) – 8-10 L/ha; Tabua-larga (Thypha latifolia) – 8-10 L/ha; Rabo-de-raposa (Orobanche spp.) – 0.130 L/ha.

  • Renovações de Pastagens

    Infestantes das Renovações das Pastagens

    CONCENTRAÇÃO/DOSE E APLICAÇÃO 

    ANUAIS – 2-4 L/ha
    Controlar as infestantes anuais nas primeiras fases de desenvolvimento. Antes da instalação de culturas e em técnicas de sementeira direita, mas sempre antes da emergência da cultura, para o controlo de infestantes anuais nas primeiras fases de desenvolvimento, também podem ser usadas as doses de 0,75 L a 1,5 L/ha de produto.

    VIVAZES – Controlar as infestantes vivazes até à floração
    Erva pata (Oxalis pes-caprae) – 4-5 L/ha; Escalracho (Panicum repens) – 4-7 L/ha; Graminhão (Paspalum paspalodes) – 5-8 L/ha; Urtigas (Urtica spp.) – 5-8 L/há; Corriola (Convolvulus arvensis) – 5-8 L/há; Silvas (Rubus spp.) – 5-8 L/há; Feto (Pteridium aquilinum) – 6-8 L/ha; Jacinto aquático (Eichornia crassipes) – 6-8 L/ha; Acácias (Acacia spp.) – 6-8 L/ha; Grama (Cynodon dactylon) – 6-8 L/ha; Junça (Cyperus rotundus) – 8-10 L/ha; Juncinha
    (Cyperus esculentus) – 8-10 L/ha; Tabua-larga (Thypha latifolia) – 8-10 L/ha; Rabo-de-raposa (Orobanche spp.) – 0.130 L/ha.

  • Videira

    Infestantes anuais e/ou vivazes da Vinha

    CONCENTRAÇÃO/DOSE E APLICAÇÃO

    ANUAIS: 2-4 L/ha – Controlar as infestantes anuais nas primeiras fases de desenvolvimento. Antes da instalação de culturas e em técnicas de sementeira direita, mas sempre antes da emergência da cultura, para o controlo de infestantes anuais nas primeiras fases de desenvolvimento, também podem ser usadas as doses de 0,75 L a 1,5 L/ha de produto.

    VIVAZES – Controlar as infestantes vivazes até à floração: Erva pata (Oxalis pes-caprae) – 4-5 L/ha; Escalracho (Panicum repens) – 4-7 L/ha; Graminhão (Paspalum paspalodes) – 5-8 L/ha; Urtigas (Urtica spp.) – 5-8 L/há; Corriola (Convolvulus arvensis) – 5-8 L/há; Silvas (Rubus spp.) – 5-8 L/há; Feto (Pteridium aquilinum) – 6-8 L/ha; Jacinto aquático (Eichornia crassipes) – 6-8 L/ha; Acácias (Acacia spp.) – 6-8 L/ha

    INTERVALO DE SEGURANÇA

    28 dias

  • Zonas Não Cultivadas

    Infestantes das Zonas Não Cultivadas

    CONCENTRAÇÃO/DOSE E APLICAÇÃO 

    ANUAIS – 2-4 L/ha
    Controlar as infestantes anuais nas primeiras fases de desenvolvimento. Antes da instalação de culturas e em técnicas de sementeira direita, mas sempre antes da emergência da cultura, para o controlo de infestantes anuais nas primeiras fases de desenvolvimento, também podem ser usadas as doses de 0,75 L a 1,5 L/ha de produto.

    VIVAZES – Controlar as infestantes vivazes até à floração
    Grama (Cynodon dactylon) – 6-8 L/ha; Junça (Cyperus rotundus) – 8-10 L/ha; Juncinha (Cyperus esculentus) – 8-10 L/ha; Tabua-larga (Thypha latifolia) – 8-10 L/ha; Rabo-de-raposa (Orobanche spp.) – 0.130 L/ha.